segunda-feira, 22 de maio de 2017

Dia do Soldado Constitucionalista - 23 de Maio




Dia da Revolução Constitucionalista de 1932, também conhecido por Dia da Revolução e do Soldado Constitucionalista é comemorado anualmente em 9 de julho no estado de São Paulo, e considerado feriado municipal no estado paulista.
A data é uma homenagem ao movimento contra ditadura de Getúlio Vargas que, ao tomar o poder com a Revolução de 1930, aboliu a República Velha e a Constituição de 1891.
A Revolução Constitucionalista, episódio que foi chamado de "Guerra Paulista", foi o mais importante movimento ocorrido em São Paulo e o último grande combate armado do Brasil.

Origem do Dia da Revolução Constitucionalista

Em 1997, o governador do estado de São Paulo oficializou o dia 9 de julho como feriado civil na região, uma homenagem ao soldado constitucionalista que lutou pela queda da ditadura de Vargas. Oficialmente, o Dia da Revolução e do Soldado Constitucionalista foi transformado em feriado civil em 1997, através da Lei nº 9.947.

História da Revolução Constitucionalista de 1932

Getúlio Vargas governava sem o auxílio da Câmara de Deputados, Vereadores ou outro órgão de origem democrática.
Naquela época não existiam eleições diretas, sendo que a presidência do Brasil era sempre alternada entre os oligarcas de Minas Gerais e de São Paulo.
Com a tomada de governo, Vargas vetou a participação de São Paulo na indicação de presidentes, o que irritou e indignou profundamente os paulistas.
O grande estopim que inflamou o sentimento de revolta da população de São Paulo foi o assassinato de quatro estudantes paulistas por policiais, em um conflito no dia 23 de maio, data que também entrou para a história do estado.
As iniciais dos nomes dos jovens ( M.M.D.C. - Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo ) tornaram-se o símbolo da revolução e batizou o movimento.
A exigência por uma nova Constituição era latente na sociedade burguesa de São Paulo, que iniciou a revolução oficialmente no dia 9 de julho de 1932, combatendo contra o governo nacional durante três meses. O combate chegou ao fim em 2 de outubro de 1932, com a rendição dos paulistas.
Também em homenagem aos jovens estudantes que foram assassinados em defesa do movimento constitucionalista, o dia 23 de maio é reconhecido como feriado estadual, Dia da Juventude Constitucionalista.
Na capital paulista, o obelisco do Ibirapuera é um marco construído para simbolizar a dor da perda da vida destes jovens.


quarta-feira, 7 de setembro de 2016




  7 de Setembro de 1822  


A Independência do Brasil é comemorada no dia 7 de Setembro e de acordo com historiadores, foi nesta data, que as margens do Rio Ipiranga, Dom Pedro I deu o famoso grito de independência, fazendo com que o Brasil, deixasse de ser colônia de Portugal. 






Para chegar a esse ponto da história, devemos retroceder um pouco e chegar ao ponto em que Dom João VI sai de Portugal em direção ao Brasil escoltado pelo Exército Inglês com medo de possíveis ataques das tropas de Napoleão. 



Em troca da proteção, ao chegar nas terras recém descobertas, o rei português realizou a abertura dos portos brasileiros às demais nações do mundo.   



A abertura possibilitou o comércio livre para diversos países, inclusive Portugal, que com o passar do tempo entrou em um pequeno conflito financeiro e sentiu falta da  liderança do rei. Por medo de perder o trono, Dom João volta para Portugal e nomeia D. Pedro I ( Príncipe-regente do Brasil ). 



D. Pedro I herdou um país com cofres quebrados e economia em risco. Para amenizar a situação, baixou impostos e mexeu na estrutura política deixada pelo rei. 





                                                         Dom Pedro I em trajes de gala
O fato desagradou a Corte de Portugal, que exigiu a volta do príncipe. 



Pressionado e sendo obrigado a " tomar um partido ", Dom Pedro I decide ficar no Brasil e declarar o país independente de Portugal em 07 de setembro de 1822.  



O Dia da Independência é considerado " Feriado Nacional ".




Nesta data, comemoro o terceiro ano de atividades no blog e agradeço a todos os gentis comentários feitos pelos prezados amigos e leitores !!



Saudações Constitucionalistas !!!


domingo, 21 de agosto de 2016

Homenagem aos Heróis Desconhecidos de 32



Orquestrada pelo nosso prezadíssimo Antonio Carlos Aristides, no dia 20 de Agosto, foi prestada uma belíssima e emocionante homenagem a 40 professores de escolas públicas e privadas no interior do Mausoléu do Soldado Constitucionalista, na cidade de São Paulo.

Tal homenagem foi iniciada às 9 hs da manhã, com uma visita monitorada pelo orientador Ricardo Della Rosa e com o apoio da Polícia Militar, Regimento da Cavalaria 9 de Julho, Prof. Rodrigo Gutemberg, Prof. Carlos Nascimento, Ana Cristina Lazzati, Claudio Senise, Daniela Costa, Edson Galvão e o nosso Presidente da Sociedade de Veteranos de 32 - MMDC, Cel. Mario Ventura.

Após cantarmos o Hino Nacional e pronunciarmos algumas palavras dirigidas aos homenageados, foram entregues os diplomas de participação aos professores presentes, os quais muito se emocionaram e tornaram um evento único e inesquecível...

Parabéns pela iniciativa, Antonio Aristides !!!

Parabéns professores pelo belissimo trabalho que desenvolvem, educando e formando os homens de amanhã...


  Abaixo, integrantes do Regimento da Cavalaria 9 de Julho




Iniciando as atividades, o Prof. Rodrigo Gutemberg


Faço uma homenagem aos professores


Com a palavra, o maestro do evento, Antonio Carlos Aristides


O nosso Presidente Cel. Mario Ventura presta
 belíssima homenagem aos presentes...


Uma visão geral dos agraciados.




Esta senhora com 100 anos foi homenageada por
 sua participação na Revolução de 32 !!
Dona Guiomar Pires de Almeida


Os professores já com seus diplomas recebidos 












   Os presentes puderam desfrutar de uma exposição 
de peças originais que participaram da Revolução de 32.




Abaixo, o orientador da visitação ao Obelisco, Ricardo Della Rosa,
o colecionador e proprietário das peças, Cláudio Senise e o nosso 
querido organizador deste maravilhoso e inesquecível evento,
Antonio Carlos Aristides.




Parabenizo a todos os envolvidos neste especial evento e muito significativo que jamais esquecerei e com certeza, todos que participaram também guardarão uma belissima recordação dos momentos aqui vividos....






















Homenagem aos Heróis Desconhecidos de 32



Orquestrada pelo nosso prezadíssimo Antonio Carlos Aristides, no dia 20 de Agosto, foi prestada uma belíssima e emocionante homenagem a 40 professores de escolas públicas e privadas no interior do Mausoléu do Soldado Constitucionalista, na cidade de São Paulo.

Tal homenagem foi iniciada às 9 hs da manhã, com uma visita monitorada pelo orientador Ricardo Della Rosa e com o apoio da Polícia Militar, Regimento da Cavalaria 9 de Julho, Prof. Rodrigo Gutemberg, Prof. Carlos Nascimento, Ana Cristina Lazzati, Claudio Senise, Daniela Costa, Edson Galvão e o nosso Presidente da Sociedade de Veteranos de 32 - MMDC, Cel. Mario Ventura.

Após cantarmos o Hino Nacional e pronunciarmos algumas palavras dirigidas aos homenageados, foram entregues os diplomas de participação aos professores presentes, os quais muito se emocionaram e tornaram um evento único e inesquecível...

Parabéns pela iniciativa, Antonio Aristides !!!

Parabéns professores pelo belissimo trabalho que desenvolvem, educando e formando os homens de amanhã...


  Abaixo, integrantes do Regimento da Cavalaria 9 de Julho




Iniciando as atividades, o Prof. Rodrigo Gutemberg


Faço uma homenagem aos professores


Com a palavra, o maestro do evento, Antonio Carlos Aristides


O nosso Presidente Cel. Mario Ventura presta
 belíssima homenagem aos presentes...


Uma visão geral dos agraciados.




Esta senhora com 100 anos foi homenageada por
 sua participação na Revolução de 32 !!


Os professores já com seus diplomas recebidos 












   Os presentes puderam desfrutar de uma exposição 
de peças originais que participaram da Revolução de 32.




Abaixo, o orientador da visitação ao Obelisco, Ricardo Della Rosa,
o colecionador e proprietário das peças, Cláudio Senise e o nosso 
querido organizador deste maravilhoso e inesquecível evento,
Antonio Carlos Aristides.




Parabenizo a todos os envolvidos neste especial evento e muito significativo que jamais esquecerei e com certeza, todos que participaram também guardarão uma belissima recordação dos momentos aqui vividos....






















domingo, 14 de agosto de 2016



                            Homenagem ao Dia dos Pais !!!



             Felicito a todos os Pais neste dia.... Sejam eles engenheiros, professores, médicos, arquitetos, enfim, não importa a sua profissão, raça ou religião.....

Todos são nossos verdadeiros e grandes Heróis !!!

         Gostaria de deixar, especialmente nesta data, a minha homenagem a este grande Pai Herói jundiaiense, o sr. João Castilho de Andrade que foi um grande guerreiro durante a Revolução de 32...

Receba os meus cumprimentos, mesmo já estando há alguns anos no céu... 

             



        Conheça um pouco da história do nosso Herói Jundiaiense da Revolução de 1932, João Castilho de Andrade, que começa bem antes de seu nascimento...

Seu pai, Benedicto Castilho de Andrade, nasceu na cidade de Jundiaí - SP e aqui residiu na chácara de seu pai, o avô de João Castilho de Andrade, conhecida como Chácara Castilho até se formar advogado na Faculdade São Francisco em São Paulo.

Mais tarde, também desempenhou um grande papel de destaque como deputado Estadual.

O sr. Benedicto Castilho, pai de nosso Herói Revolucionário João Castilho de Andrade, foi o segundo advogado do município, pois o primeiro foi o Barão de Jundiaí.

Casou-se com Virgília Corrêa de Andrade, filha do 3º Barão do Rio Pardo, de Casa Branca.

Radicou-se em São Paulo, onde nasceram seus 5 filhos: Luiz, Benedicto Filho, João ( destaque foto acima ), Judith e Maria Amélia, os quais todos eles tiveram participação durante os meses do conflito.

O Herói Jundiaiense, João Castilho de Andrade, também advogado, nasceu em São Paulo, mas cresceu entre São Paulo e Jundiaí, devido à Chácara Castilho.

Casou-se em Jundiaí com Irene Portugal Castilho de Andrade.

Estabeleceu definitivamente residência na cidade de Jundiaí em 1963, vindo a falecer em 1987.

Teve dois filhos: O jornalista João Carlos e a  professora Maria Cristina Castilho de Andrade.

Dos filhos de Benedicto Castilho de Andrade, os 3 filhos, Luiz, Benedicto Filho e João, enfrentaram os quase 3 meses em campos de batalha e as 2 filhas, Judith e Maria Amélia, atuavam na costura de uniformes e fardas para os soldados e voluntários durante a Epopéia de 32.

Para ilustrar o nosso querido Herói, João Castilho de Andrade, seguem algumas fotos abaixo, para a sua apreciação...





Na foto abaixo, João Castilho de Andrade, aparece a direita, com seus dois irmãos: Luiz e Benedicto Filho.





Abaixo, João Castilho de Andrade, aparece ao centro, entre dois companheiros durante o conflito.




João Castilho de Andrade, de lenço no pescoço, confiante na Victória !!!!




João Castilho, com seu grupo, momentos antes de ingressar em uma batalha que duraria quase 3 meses....







João Castilho encontra-se de lenço no pescoço, ao centro da foto.





João Castilho, aparece à esquerda na foto abaixo, com lenço no pescoço.





Abaixo João Castilho é o segundo homem da esquerda para a direita, de lenço no pescoço.





João Castilho de Andrade, está ao centro da foto, de lenço no pescoço e capacete.





          Abaixo, poderá observar alguns documentos do nosso Grande Herói, durante a Revolução.










Em seguida, poderá conhecer as 2 irmãs de João Castilho de Andrade, que trabalharam arduamente na confecção das fardas usadas pelos Revolucionários Paulistas !!!

Judith está de branco e em pé, ao lado direito da foto.
Maria Amélia está sentada ao lado esquerdo da foto, com um vestido escuro e detalhe branco na gola.

Considero-as tão heroínas, quanto seus 3 irmãos....





Na sequência, seguem alguns documentos de João Castilho de Andrade, no período Pós Revolução.











Abaixo, o nosso saudoso João Castilho de Andrade, em um momento descontraído, já retomando às suas atividades profissionais, longe das trincheiras e da maior Guerra Brasileira existente em nosso pais.





 " Sustentae o fogo, que a Victória é nossa !!! "...